foi adicionado ao seu carrinho.

Flores da Natália Viana: conheça o processo criativo por trás das fotos

Por 13 de julho de 2017Achados, Inspire-se

Eu já acompanho as postagens da Natália Viana no Instagram já tem um bom tempo. E o trabalho dela é daqueles trabalhos inspiradores que fazem a gente ver a vida mais leve, de alguma forma, sabe? Antes de mostrar as fotos vamos conhecer um pouquinho sobre essa pessoa que espalha amor e flores pela cidade cinza que é São Paulo.

Entrei em contato com a Natália e fiz uma pequena entrevista onde ela me respondeu algumas pergunts e curiosidades sobre todo o processo fotográfico. Perguntei sobre as flores, o que ela faz com elas, como cuida. Você pode conferir todas as respostas.

Flores da Natália Viana (8)

Flores da Natália Viana

Sou Natália Viana, paraense, atualmente morando em São Paulo, 29 anos, graduada em Bacharelado em Moda com pós-graduação em Gestão Empresarial. Trabalho como produtora de conteúdo digital criativo.
Comecei a expressar e compartilhar minha criatividade em 2007, quando desenvolvi uma marca própria de roupas, a Quiquiriqui.
Criar é onde posso expressar meus sentimentos, sejam eles de formas vestíveis ou não. Me alegra e inspira saber que algo criado por mim possa fazer parte da vida de outra pessoa.

Flores da Natália Viana (4)

Gosto de fazer coisas bonitas e eu sei fazê-las, de poder me expressar através das imagens, desse conjunto de formas, composições, cores que juntos fazem os meus olhos brilharem. Eu consigo fazer com que outras pessoas sintam o mesmo pelo que faço e isso é maravilhoso.

Flores da Natália Viana (6)
Hoje estou me expressando através das flores, utilizando a fotografia como suporte para compartilhar isso com o mundo! Fotografo flores porque elas me fazem florescer na cidade cinza, para que elas não morram e continuem despertando emoções, e fiquem eternizadas nos meus registros de vida.”

“Fotografo flores, assim não morrem.”

Como é feito o processo das fotografias?

Eu faço as fotos no meu home studio. Meu noivo é fotógrafo e ele me ajuda muito nesse processo todo de montar luz e etc. Me considero muito mais uma produtora do que uma fotógrafa profissional. Sou uma fotógrafa aventureira, não de técnicas. Minhas técnicas estão na hora de construir a imagem que irei fotografar.

Flores da Natália Viana (3)

Você imagina tudo antes ou acontece tudo ali na hora de fazer a composição?

Na maioria das vezes imagino tudo antes. Levo um tempo para montar toda uma estrutura com os equipamentos de iluminação. Com isso acabo tendo outras ideias e aproveito para deixar um estoque de fotos durante a semana e conseguir postar todos os dias.

Flores da Natália Viana (2)

Há algo que te inspira a fotografar flores?

Meus pais, principalmente meu pai, que é um apaixonado por flores! Eu nasci e cresci em Belém do Pará. Mudei há 3 anos para São Paulo, sempre tive contato com a natureza. Mas a mudança foi, também, uma grande inspiração para eu começar a fotografar e criar composições constantemente com flores.

Flores da Natália Viana (7)

Como você cuida das flores? Você tem um jardim ou elas são descartadas depois das fotos?

Moro em apartamento e tenho uma mini florestinha aqui haha. Possuo mais plantas do que flores plantadas pois é difícil elas se desenvolverem em apartamento, pelo menos no que eu moro haha então, sempre acabo optando em ter flores de corte, vários vasos com flores para alegrar a casa. Costumo deixar elas em vasos de vidro com água e a cada dois dias troco a água delas e corto a pontinha do caule em 2 cm pois aí elas duram mais! Fico com elas e utilizo até ficarem todas secas.

Para conhecer mais sobre esse mundinho florido: BlogFacebookInstagram

Uma fofa, né? Adorei saber mais sobre as flores da Natália Viana e espero que vocês também.<3

Quer receber os posts da A.Craft no seu email?

Autor Beatriz Cavalcante

Formada em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e criadora do blog Prateleira Colorida. Lá além de falar sobre livros, ela fala sobre tudo aquilo que mais gosta e ainda compartilha um pouco das suas fotografias.

Mais posts por Beatriz Cavalcante

Deixe uma resposta