foi adicionado ao seu carrinho.

Por que errar é bom?

Por 11 de julho de 2017Inspire-se

Antes de criar a A.Craft eu sempre lia, em materiais sobre empreendedorismo, que errar é bom, mas não conseguia entender aquilo. Como errar pode ser bom?

Só depois de sair do emprego e criar a A.Craft que eu entendi o que aquilo significava. Foi uma lição muito importante para mim, e me deu coragem para seguir em frente mesmo quando parecia que não ia dar certo.

Eu gostaria de compartilhar essa lição com você, então eu criei uma metáfora para explicar esse conceito de uma forma divertida. Espero que você goste.

A metáfora do explorador de ilhas

Em algum lugar do planeta existe um arquipélago de pequenas ilhas. São milhares de pequenas ilhas a serem exploradas.

por-que-errar-e-bom (2)

Algumas dessas ilhas já foram mapeadas e catalogadas, mas existem muitas que ninguém sabe o que pode ser encontrado. Criaturas desconhecidas, minérios não catalogados, desastres naturais nunca vistos antes e tesouros escondidos.

Então você decide que quer se aventurar a explorar essas ilhas, e descobre que existem dois grupos de exploradores.

O grupo A recebe os mapas e informações das ilhas já exploradas, estuda muito bem todas essas informações por 4 anos antes de se aventurar. Depois de aprender tudo, está pronto para explorar. Dessa forma ele tem mais chances de não falhar, e foi isso que aprendeu durante os 4 anos de estudos. Ele não pode errar de forma alguma. Deve chegar na ilha e seguir os passos que aprendeu nos livros.

Já o grupo B de exploradores se arrisca nas ilhas que nunca foram exploradas. E por nunca terem sido exploradas, são as que têm mais tesouros e descobertas a serem feitas. Essas ilhas não têm mapa e nem guia. O explorador está por conta própria e precisa aprender errando. Esse tipo de explorador não tem medo de errar, porque sabe que errando ele vai descobrir algo que ninguém mais sabe. Ele também sabe que não deve desanimar quando as coisas não estiverem dando certo, mas que precisa saber aprender com os erros e se adaptar.

por-que-errar-e-bom (1)

Qual tipo de explorador você gostaria de ser? O tipo A, que estuda e segue um caminho conhecido para não errar, ou o tipo B, que se arrisca a errar para aprender coisas que ninguém mais sabe?

Essa metáfora serve para explicar como o nosso sistema educacional nos acostuma a pensar que nunca podemos errar. Que errar é ruim.

Passamos a vida inteira estudando e decorando para tirar nota máxima nas provas, e quem não consegue passar de primeira vai para recuperação, o que não é muito bem visto, né?

Acontece que a gente é treinado a pertencer ao grupo A, e por esse motivo temos tanto medo de errar na vida real.

Se você está começando a empreender ou quer empreender um dia, lembre-se que vai precisar se acostumar com essas ideias:

  • Não existe manual para empreender. Empreender é como explorar uma ilha desconhecida.
  • Errar é bom e vai te mostrar coisas que não estão escritas em lugar nenhum.
  • Aprender com os erros é bom. Persistir no erro não.
  • Problemas e imprevistos vão acontecer. Saiba aceitá-los e não desanime.

Se você é estudante, eu não estou te incentivando a tirar notas baixas na prova. hahaha :)

Atualmente você pertence ao grupo A, e precisa estudar para explorar corretamente as ilhas e acertar tudo de primeira. Porém, se você for empreender algum dia, deve ter em mente que a vida de empreendedor não segue essa regra: estuda e acerta. Você terá que se acostumar com a ideia de que errar é saudável, e que deve aprender com os erros.

Quer receber os posts da A.Craft no seu email?

Autor Luiz Ikeda

Mais posts por Luiz Ikeda

Participe da discussão Um Comentário

  • Achei revigorante ler essa matéria! Hoje em dia existem muitas dicas sobre empreendedorismo em forma de livros, palestras, webinar… e por um período eu realmente acreditei que pudessem existir fórmulas e acabei consumindo muitas dessas dicas infalíveis, vendidas como tesouros. Até que percebi que esse excesso de informações surtia o efeito contrário: me desanimava. Ler um texto que me encoraja a tentar e seguir minha própria trilha, me faz respirar um pouquinho! ehehehe

Deixe uma resposta